15 abril 2018 3:24 pm

Dificuldade com Siaf pode fazer com que UEL tenha serviços interrompidos

Redação Paiquerê

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) vem tendo uma série de problemas com o Sistema Integrado de Finanças Públicas do Estado do Paraná (Siaf). Ele faz parte do Meta4. A instituição relutou por muito tempo para aderir, alegando que isso iria ferir sua autonomia. Em janeiro, porém, a univeridade enviou os documentos necessários para integrar o programa. Ao contrário, servidores poderiam ficar sem salários.

Três meses depois de aderir ao Meta4, a UEL não está conseguindo fazer seus pagamentos em dia, o que inclui as bolsas-auxilío e fornecedores. A Paiquerê noticiou na sexta-feira (13) que 38 alunos indígenas estão com o repasse atrasado, o que vem gerando transtornos.

Segundo o pró-reitor de Administração e Finanças da instituição, Luis Fernando Pinto Dias, o Siafe está gerando um retrabalho aos servidores.

Com estas dificuldades, a universidade está atrasando os repasses para bolsistas e fornecedores. O valor gasto mensalmente com bolsas é de cerca de R$ 400 mil e com fornecedores de aproximadamente R$ 5 milhões.

O pró-reitor de Administração e Finanças projeta que até o final de abril tudo seja resolvido.

Por meio de nota, a Secretaria de Fazenda garantiu que o Siaf realizou uma intensa programação de capacitação ao longo de 2017 e todas as universidades foram convocadas para participar do processo. Também que “os servidores da UEL participaram do treinamento inicial assistido ao longo de janeiro e no dia oito de fevereiro e que uma comitiva da UEL também esteve presente em um treinamento presencial, sendo atendida pela equipe do projeto Novo Siaf”.

Comentários Facebook

Comentários