9 julho 2018 11:49 am

Estudo aponta o Brasil como o pior País na distribuição de impostos

Lino Ramos
Bicho-Pau

 Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Brasil é um dos países mais eficientes na arrecadação de impostos, porém é o último colocado na aplicação desse dinheiro em benefícios e melhorias da qualidade de vida da população. A evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é inversamente proporcional à fúria com que o Governo esfola o contribuinte.

Esta disparidade é ressaltada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), em sua oitava edição do IRBES, o Índice de Retorno de Bem-estar à Sociedade. De acordo com esse estudo, atualmente o Brasil é o 15º colocação entre os 30 países com uma carga tributária mais elevada. Mas ao analisar o volume de impostos sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e o IDH, nosso país cai para a última posição.

Segundo o IRBES, os países que melhor distribuem suas cargas tributárias são Irlanda, Estados Unidos e Suíça”. Já o Brasil, na última posição, fica abaixo do Uruguai (10º colocado) e Argentina, na 18ª colocação. Desde a primeira edição desse estudo o Brasil aparece como o último colocado, com uma carga tributária altíssima, mas supera até Cuba quando se analisa a aplicação desses recursos em benefício do cidadão.

O IRBES observa dados de instituições como a Organização das Nações Unidades e Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Para o coordenador do estudo e presidente do IBPT, João Eloi Olenike, o estudo revela que o país precisa gastar melhor o dinheiro que toma do contribuinte e investir na qualidade de vida do cidadão.

Ao analisar os números divulgados pelo IBPT, o cientista político e professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL) Clodomiro Bannwart, afirma que o abismo entre o que o Brasil arrecada e o que investe no cidadão reflete a falta de compromisso dos políticos com as promessas feitas durante o processo eleitoral.

Para o economista e consultor econômico da Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), Marcos Rambalducci, o IRBES reflete diversas mazelas, como a falta de um planejamento estratégico de longo prazo, que proporcione uma produtividade maior no setor público.

De acordo com a assessoria de comunicação do IBPT, desde 1992 o Instituto fornece dados valiosos à população brasileira. São informações sobre tributos e arrecadação, que afetam a vida de todas as pessoas no que consomem, no que geram de renda e sobre seu patrimônio.

Comentários Facebook

Comentários