16 maio 2018 8:11 am

Justiça nega bloqueio de bens de ex-secretário de Obras de Londrina

Lino Ramos
Bicho-Pau

walmir matos
Matos comandou pasta na administração Kireeff. Foto: Divulgação

O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Londrina, Emil Tomás Gonçalves, não concedeu liminar a pedido de bloqueio de bens contra o ex-secretário municipal de Obras da cidade, Walmir da Silva Matos, acusado de improbidade administrativa pelo promotor Renato de Lima Castro coordenador do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria).

Castro acusou o ex-secretário de ter favorecido a Construtora Empelog Empresa de Engenharia e Logística, pertencente a Laércio Boguchevski. Os dois seriam amigos, o que o ex-secretário nega. A empresa foi contratada sem licitação e de maneira emergencial para o conserto de escolas municipais de Londrina, danificadas pelas chuvas ocorridas em janeiro de 2016. O promotor entendeu que a Empelog não tinha sequer condições de promover as obras pelas quais recebeu. Logo depois de ser contratada pela Prefeitura de Londrina, o irmão do ex-secretário, Walfrides Matos, teria conseguido um emprego na empresa, com salário em torno de R$ 4 mil mensais.

No entendimento do promotor do Gepatria, o dinheiro teria beneficiado o próprio ex-secretário de Obras. “Assim, pleiteia o Ministério Público (MP) que seja decretada liminarmente a indisponibilidade dos bens dos requeridos Walmir da Silva Matos, Walfrides Matos, Laércio Boguchevski Ribeiro e da empresa Empelog no montante de R$ 408.106,30, mais o valor referente à multa civil no montante de R$ 143.488,23”, pediu o Gepatria. Walmir Matos negou todas as acusações do MP e disse que está tranquilo quanto à ação movida pelo Gepatria.

O promotor Renato de Lima Castro não quis gravar entrevista, mas adiantou que irá recorrer da decisão do juiz Emil Gonçalves.

Comentários Facebook

Comentários