13 fevereiro 2018 11:02 am

Luizão não engole derrota para o Coritiba e cita resultado como ‘aprendizado’

Redação Paiquerê

Ricardinho explicou as substituições precoces na partida contra o Coritiba. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Ricardinho explicou as substituições precoces na partida contra o Coritiba. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

A derrota em casa para o Coritiba pelo placar de 3 a 0 ainda reflete, de alguma forma, no elenco do Londrina Esporte Clube (LEC). Pelo menos para o zagueiro Luizão, o resultado ainda não foi “digerido” pelo atleta. “Não sei todos os meus companheiros, mas eu não digeri (a derrota). Não dá para esquecer facilmente uma derrota assim. Era um confronto que eu esperava muito que a equipe mudasse a atitude, fosse mais forte, mas o nosso jogo não encaixou. Há dias que as coisas não dão certo, e contra o Coritiba foi um desses jogos”, afirmou.

O Tubarão não perdia por três gols de diferença desde o dia 28 de outubro de 2017, quando perdeu fora de casa para a equipe do ABC em jogo válido pela 32ª rodada da Série B. Luizão também procurou tirar pontos positivos da derrota, para que o Tubarão não repita os erros na decisão da vaga na semifinal da Primeira Taça contra o Cascavel. “Não se pode apagar isso (o resultado). Apesar do time ser novo, todos os jogadores possuem sua autocrítica e sua parcela de responsabilidade para assumir esse momento. A gente não vê nem tanto pelo lado do Coritiba, mas sim pelo time que jogou mal. O fato deles não terem nada demais e terem ganho de 3 a 0 de nós, gera um sentimento ruim. Faltou o time entrar mais ligado no jogo, achei que subestimamos o adversário, achando que poderíamos ganhar de qualquer jeito. Isso serve de aprendizado para não bobear mais no Paranaense”, completou.

Ricardinho explica mudanças no primeiro tempo

Ainda na partida contra o Coritiba, o técnico Ricardinho fez duas substituições logo no primeiro tempo: saíram Thiago Primão e Gustavo Tocantins para a entrada de Wesley e Miullen. O comandante alviceleste justificou as alterações precoces. “Todas as vezes que eu achar necessário mudar o time, por falta de produtividade ou por um momento de instabilidade, eu irei mudar independente do tempo de jogo. Não posso ver a minha equipe improdutiva, sem atacar, e simplesmente esperar. Tínhamos ainda 15 minutos. Quando você escala, você treina, organiza e pontua as funções de cada jogador, e espera sempre a melhor resposta”, declarou.

Na tarde desta terça-feira (13), o Tubarão viaja até Cascavel para enfrentar a equipe local pela sexta rodada do primeiro turno do Paranaense. O duelo está marcado para quarta-feira (14), às 21h45, no Estádio Olímpico de Cascavel.

Comentários Facebook

Comentários