6 dezembro 2017 4:26 pm

Por enquanto, prefeitura não pedirá regime de urgência do Passe Livre

Neto Almeida
Redação Paiquerê

Tramita da Câmara Municipal de Londrina, o projeto de lei que restringe a gratuidade do passe livre. Caso o projeto seja aprovado, segundo o secretário de Fazenda, Edson Antônio de Souza, a prefeitura espera uma economia de R$ 9 milhões, em relação a projeção de R$ 33 milhões previstos para esse ano.

O projeto original prevê o critério de renda para definir a gratuidade a estudantes do ensino superior, pós-graduação, profissionalizante e de cursinho pré-vestibular. A Comissão de Educação, apresentou uma emenda na intenção de ampliar o leque da gratuidade, entretanto, a Comissão de Justiça deu parecer negativo.  O vereador Filipe Barros (PRB) , presidente da Comissão, explicou o porque da decisão.

A Comissão de Educação já entrou com recurso e a emenda proposta será definida em plenário. O projeto do passe livre já teve diversas emendas apresentadas. Filipe Barros, se mostrou favorável ao projeto do executivo.

Filipe Barros ainda acredita que o projeto tem condições de ser votado em 2017. O vereador ainda se mostrou contra um possível regime de urgência.

Marcelo Belinati, questionado sobre pedir regime de urgência, à principio descartou essa possibilidade, entretanto, não escondeu que seria importante para o executivo, que a definição seja consolidada ainda em 2017.

 

Comentários Facebook

Comentários