13 setembro 2018 4:47 pm

Troca de placas de ruas na Gleba Palhano não teve autorização do município

Neto Almeida
Redação Paiquerê

A Associação de Condomínios Residenciais e Comerciais da Gleba Palhano está realizando a substituição de 70 placas de rua em 35 esquinas da Gleba Palhano.

Não só as placas estão sendo trocadas, mas também foram substituídos 19 postes. O projeto para substituição de placas de rua foi proposto pelo ConGP ao vereador Felipe Prochet (PSD) e foi aprovado pelos vereadores.

A proposta alterou um dos artigos do Código de Posturas, onde as letras serão grafadas em uma nova fonte (Wayfinding Sans Pro). Além disso, os nomes das ruas e avenidas continuarão em branco, mas os das regiões terão outras cores: azul para o centro, vermelho para a zona norte, verde para a zona sul, laranja para a zona oeste e roxo para a zona leste. A cor para o fundo será branca.

O presidente do ConGP, Marcus Ginez, disse que o trabalho é um modelo piloto que visa a expansão para toda a cidade.

Foram colocadas novas placas em toda a extensão das ruas João Wyclif e Ernane Lacerda de Athayde, além da Avenida Ayrton Senna da Silva e no trecho entre a Madre Leônia Milito e Lago Igapó. As mudanças foram custeadas 100% pelo ConGP. A associação investiu entre R$ 16 mil e R$ 18 mil para realizar as mudanças.

Marcus Ginez ainda confirmou que não teve autorização expressa do município.

João Verçosa, secretário de Obras do Município, disse que não é a pasta que realiza essa troca de placas das esquinas, mas confirmou que o Congp não realizou nenhum pedido para a substituição das placas.

Procurada pela reportagem da Paiquerê, a CMTU se isentou de qualquer responsabilidade na troca destas placas de esquina.

O presidente do IPPUL, Roberto Alves de Lima Júnior, confirmou que nenhuma diretoria do Instituto autorizou a troca das placas.

Comentários Facebook

Comentários