3 novembro 2017 9:58 am

Vereador acusado de quebrar o decoro integra comissão para rever Código de Ética da Câmara

Lino Ramos
Bicho-Pau

comissao rever codigo de etica Foto CML
Comissão que vai rever Código de Ética da Câmara Foto: CML

A Câmara de Vereadores de Londrina criou uma Comissão Especial (CE) para atualizar e propor mudanças no Código de Ética e Decoro do Legislativo, criado por iniciativa do ex-vereador Roberto Kanashiro. A proposta foi apresentada por Rony Alves (PTB). Além dele, integram a comissão, por indicação do Colégio de Líderes, o vereador Filipe Barros (PRB) e Gerson Araújo (PSDB).

Barros causou polêmica na Câmara e foi criticado justamente pela quebra de decoro, pois gravou um vídeo onde chamou de vagabundos um grupo de trabalhadores e sindicalistas, que protestavam contra as reformas propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB). Gerson Araújo foi investigado pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e denunciado criminalmente por improbidade administrativa.

Como prefeito interino de Londrina (após a cassação do ex-prefeito Barbosa Neto), Gerson Araújo supostamente teria emitido declarações falsas para pressionar donos de imóveis a venderem seus terrenos à construtora Iguaçu do Brasil. A empresa aplicou um golpe milionário em dezenas de proprietários em Londrina e Maringá. Muitos perderam tudo o que tinham com o golpe da Iguaçu. Questionado pela Paiquerê, Rony Alves explicou que a intenção é atualizar o Código de Ética da Casa, especialmente quanto ao quórum mínimo nos processos de cassação de vereadores e prefeito.

Ele também alegou que a escolha dos integrantes da comissão foi do Colégio de Líderes do Legislativo:

A Comissão Especial terá 120 dias para apresentar as mudanças no Código de Ética e Decoro da Câmara.

Comentários Facebook

Comentários