11 outubro 2018 10:43 am

Bebê de três meses é o mais jovem doador de órgãos do Paraná

Redação Paiquerê

Os rins do bebê foram encaminhados para o Rio Grande do Sul. Foto: Divulgação

Em meio à dor de perder o filho único, a família de um bebê de três meses de idade resolveu dar esperança de vida a outra criança por meio da doação de órgãos. O bebê tornou-se o doador mais jovem do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), onde a cirurgia de captação foi realizada. Os rins do bebê foram encaminhados para o Rio Grande do Sul, para serem transplantados em uma menina de dois anos de idade.

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante do HU acompanhou todo o processo de doação, desde a realização do diagnóstico de morte encefálica, conversa com a família do doador e captação dos órgãos. Segundo os médicos que atenderam o caso, o bebê teve morte encefálica por conta de uma parada cardíaca causada por perda acentuada de líquidos.

Em entrevista à imprensa, a mãe do bebê doador, Cíntia da Silva, disse que a decisão de doar os órgãos do filho foi motivada pelo desejo de ajudar mães que passam pela dor de ver um filho sofrendo. Segundo ela, o ato de tornar-se mãe a fez ter uma compreensão melhor da vida e do mundo. “A gente sente a dor de outra mãezinha que está esperando uma ligação [da Central de Transplantes] para poder ajudar a criança. No caso do meu filho não tinha mais o que ser feito, mas por que eu não poderia ajudar outra mãe que está sofrendo?”, disse.

O Paraná é o Estado brasileiro com maior índice de doações de órgãos por milhão de população. Enquanto a média nacional é de 17,5 doações por milhão de habitantes, no Paraná esse índice chegou a 49,2 em 2018. De janeiro a setembro deste ano, 468 famílias autorizaram a doação de órgãos de seus familiares e 418 destes resultaram em doações efetivas. Para ser doador de órgãos não é necessário deixar nada por escrito, mas sim avisar seus familiares sobre o desejo de doar.

Com AEN

Comentários Facebook

Comentários