6 dezembro 2018 2:25 pm

“Coppélia” leva 230 bailarinos ao palco do Ouro Verde

Redação Paiquerê

Balet da Funcart. Foto: Fábio Alcoverde/Divulgação

Na fábrica de brinquedos do Doutor Coppelius, as bonecas são incrivelmente reais. Coppélia, sua invenção predileta, passa o dia na janela lendo histórias e encantando crianças e adultos do vilarejo – inclusive Franz, o noivo de Swanilda. Está armada a confusão que colocará em movimento seres mecânicos e personagens de carne e osso. A Escola Municipal de Dança de Londrina estreia nesta quinta-feira (6), a versão em balé clássico deste conto alemão fantástico escrito no século XIX. A montagem, que comemora os 25 anos da Funcart e os 84 da cidade, traz um elenco com mais de 230 bailarinos entre alunos de todos os anos, professores e convidados especiais. “Coppélia” fica em cartaz no Teatro Ouro Verde desta quinta (6) até domingo (9), sempre às 20 horas. Os ingressos custam R$30 e R$15 (meia) e a classificação indicativa é livre. A Funcart é conveniada da Prefeitura Municipal de Londrina.

Cômica e lúdica, a obra é conhecida como o primeiro balé de repertório da história a incluir em suas coreografias movimentos de danças folclóricas, como polcas e mazurcas. “É um espetáculo que chama muito a atenção das crianças pelo encantamento de uma boneca que ganha vida. Também é uma obra em que conseguimos integrar alunos de várias faixas etárias, porque é composta por grupos de bonecas como a chinesa, a escocesa, a espanhola, marionetes e arlequins”, comenta Luciana Lupi, coordenadora da Escola Municipal de Dança.

Para chegar a uma qualidade técnica com um grupo numeroso como este, Lupi conta que estão sendo realizados ensaios desde agosto. No elenco principal, a protagonista é revezada entre a bailarina Ana Carolina Gonçalves e a formanda Vitória Barioni; o professor Marciano Boletti (que também assina a direção) vive o Dr. Coppelius, e Franz é interpretado por Hugo Vargas, convidado do Ballet de Londrina. A adaptação coreográfica é dos professores Cláudio de Souza, Eduarda Nishikawa, Luciana Lupi, Marciano Boletti, Renata Doi, Rosangela Homem e Thayná Rodrigues.

No decorrer do enredo, Swanilda, acometida por um ataque de ciúmes de seu noivo, entra com as amigas na casa do Dr. Coppelius e fica impressionada pela perfeição das criações do mágico. Descobre, então, que a “moça” que fica na janela é uma boneca em tamanho real movida a corda. O sonho do inventor maluco é dar vida a Coppélia, mas, para isso, precisa de um sacrifício humano e pensa em fazer testes com Franz. Para salvar a vida de seu amado, Swanilda veste as roupas da boneca e finge ser ela, deixando o Dr. Coppelius bem confuso. O espetáculo tem 110 minutos de duração e está dividido em 3 atos, com mudanças de cenários, figurinos e adereços – todos produzidos especialmente para a temporada.

No domingo, dia 9, às 16 horas, no próprio Ouro Verde, também haverá única apresentação do espetáculo “Casa de Bonecas”, inspirado em “Coppélia”, mas com o elenco de crianças do Pré-Ballet e participação de alunos do quarto ano do ensino regular. A bilheteria é a mesma.

Com N.Com

Comentários Facebook

Comentários