10 outubro 2018 11:24 am

Corregedoria avalia conduta de GM por abordagem fora do serviço

Neto Almeida
Redação Paiquerê

A corregedoria da Guarda Municipal (GM) de Londrina abriu um procedimento de investigação com o objetivo de apurar a conduta de um guarda. Segundo a denúncia do estudante Kicani Pietro, de 28 anos, e da professora Adilza Carvalho, de 29, o GM os abordou fora do horário de trabalho, armado e se identificou como policial. A situação aconteceu na região sul da cidade, próximo a Associação dos Funcionários Municipais de Londrina (AFML), na manhã do último sábado (6)

De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), e de um vídeo gravado pelos denunciantes e que viralizou nas redes sociais, o oficial abordou a dupla portando uma arma e questionando se eles estavam com arma e usando drogas. Eles estavam estacionados enquanto procuravam um endereço no Google Maps. Kicani Pietro, que é angolano, contou, em entrevista à Paiquerê, que durante o procedimento o guarda municipal foi agressivo.

O secretário de Defesa Social, Evaristo Kuceki, explicou que os dois denunciantes já foram ouvidos na guarda e que é preciso ver as circunstância da abordagem. Ele falou que o agente de segurança pode andar armado mesmo fora da guarda, mas que neste caso, pelo que o que foi notado pelo vídeo, o GM demonstrou descuido, já que fez uma abordagem sozinho.

O guarda municipal estaria atuando no contraturno como segurança privado dos moradores da região. O fato também será apurado. O guarda municipal, que não teve o nome divulgado, tem cinco anos de experiência e passou por duas sindicâncias.

Vídeo gravado após a abordagem:

 

Com Weslley Lemos

Comentários Facebook

Comentários