6 dezembro 2018 10:13 am

Médicos convocados para trabalhar na rede pública de Londrina não aceitam vaga

Redação Paiquerê

Dos 50 médicos convocados pelo município no início de novembro para trabalhar na rede pública de saúde, 30 não aceitaram e uma nova convocação precisou ser feita. Os profissionais vão ser direcionados para todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Londrina, porém boa parte delas vai ter que esperar mais um pouco para ter reforço em seu quadro. O prazo final de apresentação destes outros médicos se encerra em 12 de dezembro e a tendência é que, caso aceitem, assumam o cargo nas instituições em janeiro.

Outros 20 profissionais convocados em primeira chamada aceitaram e entregaram os documentos ao município. “Eles estão no processo de exames pré-admissionais. Dos outros 30 convocados, alguns pediram reclassificação, ou seja, não se mostraram interessados neste momento, enquanto outros declinaram com a vaga”, destacou o secretário de Saúde, Felippe Machado. “Acreditamos que até o começo de janeiro todos estes profissionais já estejam aptos a trabalhar, indo até as UBSs para que possamos de forma efetiva corrigir os problemas de saúde da cidade”, projetou.

Dos médicos que não aceitaram a vaga no Sistema Único de Saúde (SUS), a grande maioria corresponde a clínico geral, pediatra e ginecologista. O problema estaria na remuneração que vão receber, que não seria vantajosa. No caso do clínico geral, por exemplo, por 20 horas de trabalho, o salário inicial varia entre R$ 4.500 e R$ 5 mil. “No casos das especialidades, ao invés de irem para o sistema público, preferem medicina em consultório, na iniciativa privada”.

Com informações de Neto Almeida

Comentários Facebook

Comentários