10 outubro 2018 5:14 pm

Pai de estagiária comandava esquema de fraudes na Secretaria de Fazenda em Londrina

Bicho-pau
Lino Ramos

Foto: Divulgação

Uma organização criminosa envolvendo pai e filha: É o que revela a denúncia apresentada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra os envolvidos na operação Password, um esquema de fraudes em lançamentos de IPTU, ISS e ITBI na Secretaria Municipal de Fazenda.

O esquema resultou no desvio de mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos de Londrina, com o envolvimento de 28 pessoas, todas relacionadas na denúncia criminal apresentada à Justiça pelo Ministério Público. Entre os denunciados está a ex-estagiária da Fazenda, Camila Azarias.

O escândalo veio à tona em meio a polêmica causada pela nova Planta Genérica de Valores (PGV) e que provocou aumentos considerados abusivos no IPTU dos londrinenses. Em entrevista à Paiquerê, o ex-secretário municipal de Fazenda, Edson Antônio de Souza, chegou a dizer que o londrinense que não tivesse condição de pagar o IPTU, deveria mudar de cidade.

Segundo o promotor do Gaeco, Leandro Antunes, o chefe da organização criminosa seria Carlos Evander Azarias, pai da ex-estagiária. “Eu posso assegurar que ele (Azarias) era um dos chefes dessa organização”, disse o promotor. Antunes ainda disse que o grupo criminoso jamais poderia ter atuado sem a participação de Carlos Azarias: “Ele abordava os beneficiários ou praticava os estelionatos. Também oferecia cancelamentos ilegais, afirmando que possuía uma pessoa dentro do setor de Cadastro Imobiliário da Prefeitura, no caso a sua filha Camila”.

Além do crime de organização criminosa e estelionato, os envolvidos (todos ou em parte) devem responder pela inserção de dados falsos no sistema tributário de Londrina, fazendo cancelamentos de tributos ou atualizações.“Isso é crime previsto no artigo 313 do Código Penal”, explicou o promotor. Durante as investigações, o Gaeco ouviu mais de 100 pessoas e analisou provas colhidas no cumprimento de mandados de busca e apreensão, como celulares, documentos e computadores.

Colaboração de Neto Almeida

Comentários Facebook

Comentários