8 novembro 2018 5:26 pm

Sete ex-prefeitos da Amunorpi têm bens bloqueados

Redação Paiquerê

Em Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro do Estado, 11 pessoas ligadas à Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi), incluindo ex-prefeitos de cidades da região e ex-funcionários da associação, estão com bens não disponibilizados liminarmente pela Justiça. O bloqueio atende ação civil pública por ato de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), como mais um dos resultados da operação Cheque em Branco.

Desde 2015, o MPPR apura diversas irregularidades cometidas pela gestão da Amunorpi, entidade privada mantida com verbas públicas repassadas pelos 26 municípios associados. No caso em questão, a ação trata de gastos irregulares com combustíveis, havendo indícios de uso de dinheiro público para abastecer veículos particulares. As investigações verificaram um gasto aproximado de R$ 50 mil pela Amunorpi, sendo que perto de R$ 20 mil teriam sido gastos indevidamente com veículos privados.

Durante o período analisado (2010 a 2015), a Amunorpi possuía pelo menos dois veículos. Para surpresa do MP, quando foi feito o levantamento dos documentos contábeis, descobriu-se uma série de despesas com o abastecimento desses automóveis e também de veículos particulares dos ex-funcionários da Amunorpi e de terceiros a eles relacionados ou de carros sem identificação do proprietário – todas contabilizadas em nome da Associação.

Uso particular
Os requeridos abasteciam seus veículos particulares, mediante indicação da placa na nota ou cupom fiscal, e, com autorização da secretária-executiva da entidade, identificando o beneficiado, faziam o pagamento com recursos da Amunorpi. Os valores dessas notas ou faturas eram contabilizados junto com as demais despesas de combustível dos carros da associação. Em alguns casos, constatou-se o abastecimento de veículos privados inclusive em finais de semana, sendo nítido o uso de dinheiro público para fins particulares.

A liminar foi concedida pelo Juízo da Vara da Fazenda Pública de Santo Antônio da Platina. Foi imposta a indisponibilidade de bens dos réus em valores diversos, sendo o maior em R$ 51.446,37. Estão entre os réus ex-prefeitos dos municípios de Siqueira Campos (gestão 2009-2012), Joaquim Távora (gestão 2009-2012), Ribeirão do Pinhal (gestão 2009-2012), Guapirama (gestão 2013-2016), Tomazina (gestão 2013-2016), Barra do Jacaré (gestão 2013-2016) e Wenceslau Braz (gestão 2013-2016). Os nomes não foram divulgados.

Com MPPR

Comentários Facebook

Comentários